Amazon compra seus primeiros 11 aviões

Compra de Boeings da Delta e WestJet será finalizada a tempo do uso dos modelos em 2022, a fim de acelerar o tempo de entrega das encomendas do público nos EUA


A Amazon anunciou nesta terça-feira (5) a compra de 11 aviões usados do modelo Boeing 767-300, o que por incrível que pareça marca a primeira ocasião em que a companhia de Jeff Bezos faz um investimento do tipo. Embora conte com uma frota aérea desde 2016, a rede de varejo nunca chegou a adquirir aviões, preferindo sempre acordos de empréstimo com terceiros.

O pacote “aéreo” inclui sete aviões da Delta e quatro da WestJet, mas estes só devem começar a ser usados pela Amazon a partir de 2022. O foco é aumentar a eficiência da rede de entregas no território estadunidense, com a vice-presidente do setor aéreo Sarah Rhoads escrevendo no comunicado oficial que a meta é “continuar a entregar para consumidores ao redor de todo os EUA da forma que eles esperam” da companhia. “Ter uma mistura de aviões licenciados e de posse em nossa frota permite gerenciar melhor nossas operações, que por sua vez nos ajuda a manter o ritmo de cumprir com as promessas feitas aos clientes” acrescenta a executiva no release.


A decisão tem contexto na crise do coronavírus. Como bem comenta o The Verge, o valor de compra de aviões caiu drasticamente nos últimos meses com a queda de viagens aéreas, por sua vez prejudicadas severamente pelas quarentenas e o alto risco de contágio da doença. Companhias aéreas em todo o globo passam por um momento crítico, e até mesmo a LATAM foi obrigada a entrar com pedido de recuperação judicial.

Mas como bem denota o comunicado, a Amazon pelo menos por enquanto deve manter sua estratégia de forma predominante no licenciamento de aviões ao invés de comprar mais unidades de transporte. A aquisição da vez é mais uma no monte de investimentos feito por Bezos no setor, porém: além dos 11 Boeings, a companhia recentemente adquiriu a Zoox, uma startup cujo principal produto é um robotáxi, e fez múltiplas rodadas de investimento na Rivian e sua van movida a bateria, além de ter ganhado aprovação da Administração Federal de Aviação em agosto para operar entregas por drones em todo o território estadunidense.

0 visualização0 comentário