Amstel: A cerveja que veio pra ficar

Aqui no Brasil, as cervejas holandesas estão ocupando um espaço cada vez maior no paladar dos cervejeiros.

Por: @chrisroberto


De sabor mais encorpado e alta qualidade, sem dúvida esses rótulos merecem nossa atenção, não é mesmo? Por isso, hoje vamos conhecer detalhes de uma das marcas mais tradicionais no país e que está disponível no Brasil: a Amstel.



Ainda que menos conhecida que sua marca concorrente, a Heineken, vale a pena destacar que a Amstel conquistou um imenso mercado na Europa devido ao seu cuidado com o uso de produtos puros a valores acessíveis.

Sua história teve início na década de 1870, em Amsterdã, capital da Holanda. A cervejaria Amstel foi idealizada por dois empresários da cidade, chamados Jonkheer de Pesters e J.H van Marwijk Kooy, que enxergaram uma oportunidade diante da fama que as cervejarias da região da Bavária estavam alcançando.

O nome da bebida foi inspirado no Rio Amstel, onde estava localizada a cervejaria e também de onde era retirada a água para sua produção. As cores para representar a marca foram um sinal de orgulho de sua cidade natal: vermelha e branca, tonalidades que representam Amsterdã.



Apesar da alta concorrência com outras marcas, a Amstel resolveu apostar num diferencial: a fabricação de cerveja do tipo pilsener, algo não tão comum na época devido a complicações técnicas na sua produção.

Nos primeiros anos de vida, a cervejaria Amstel comercializava cerca de 90% de sua produção para o mercado interno. Apenas em 1883 a empresa finalmente começou a realizar exportações, começando pela Inglaterra, colônias holandesas e também Indonésia.

Três anos depois da empreitada, a fábrica já era a maior produtora de cerveja do tipo pilsener em Amsterdã, alcançando fama não somente na capital, mas também em outras partes da Holanda e do mundo. Em 1926, a Amstel era responsável por quase 1/3 das exportações de cerveja do país.



Um “boom” que ficou marcado para a empresa aconteceu em 1937, com o lançamento de um barril de 10 litros para ser consumido em casa. Chamado “stoop”, historiadores afirmam que foi uma grande revolução no segmento.

A partir daí, o crescimento da Amstel não parou. Na década de 50, se destacou como a primeira cervejaria holandesa a exportar cervejas em lata, além de construir sua primeira cervejaria internacional no Suriname.


A fim de alcançar um público ainda maior, também lançou novos rótulos. Entre os mais famosos, estão a Amstel Gold – uma versão premium de sua cerveja mais tradicional – , a Amstel Light – mais suave, com 3,5% de graduação alcoólica – e a Amstel Pulse – com garrafa de design único e sabor suave e refrescante.

A Amstel foi comprada pela Heineken no final da década de 80 e hoje é a terceira mais consumida na Europa. A empresa ainda trouxe a marca para o Brasil em 2014, juntamente com a portuguesa Sagres.


Você já provou uma Amstel bem gelada? Caso ainda não tenha feito isso, trate de provar o sabor dessa cerveja tão tradicional não somente na Holanda, mas em toda a Europa.


#amstel #cervejaamstel #cerveja #beer #bier #cervejagelada #gastronomia

4 visualizações